Evite quebra de gôndolas no varejo integrando os agentes da cadeia produtiva da Indústria

Evite quebra de gôndolas no varejo integrando os agentes da cadeia produtiva da Indústria
Conteúdo

Atualmente, é possível ver que, quanto maior o porte de uma indústria, maior a quantidade de processos na produção e consequentemente maior é o número de elos ou empresas no caminho logístico de um produto. Hoje sabemos que um bom planejamento logístico e de produção aliado a canais eficientes e estratégias pensadas de maneira integrada entre canais da cadeia produtiva são essenciais para garantir o produto certo, na quantidade certa no varejo para mais vendas e margens.

Garantir o produto certo, com o sortimento certo, na quantidade certa nas prateleiras e gôndolas do varejo é uma tarefa árdua que demanda de ferramentas apropriadas. Quer saber como garantir o estoque adequado em todos os elos da cadeia produtiva? Acompanhe-nos neste conteúdo que trará as melhores formas de fazer a gestão de varejo mais efetiva para a indústria e seus parceiros.

Por que a gestão de estoque em todos os elos inclusive no varejo é importante?

Quanto mais os processos da cadeia produtiva se modernizam, mais vemos que a individualidade não é mais uma escolha para se manter competitivo no mercado. A quantidade de canais logísticos e intermediários é proporcional ao volume de informações que precisam ser hierarquizadas e filtradas para o processo decisório de uma indústria. Por isso, a indústria precisa firmar parcerias e construir canais que permitam um planejamento estratégico conjunto e baseado na integração entre os processos. 

Uma das etapas desse processo de integração eficiente consiste numa boa gestão de estoque e sell out do varejo por parte da indústria, mas a questão é: como fazer isso da melhor maneira? Sabemos que na cadeia produtiva a relação entre indústria e varejo nem sempre ocorre, já que temos casos de indústrias que vendem diretamente para o consumidor final (como é o caso de empresas do mercado de cosméticos, por exemplo) ou indústrias que só vendem para atacadistas e distribuidores. No entanto, quando esta relação ocorre também é possível fazê-la de variadas formas e com um número maior ou menor de agentes. Estes agentes podem ser tanto do processo logístico e de vendas quanto processos adotados pela própria indústria em parceria com seus canais. Por exemplo, uma indústria do setor alimentício geralmente atende um número grande de varejistas, o que exige um planejamento adaptado ao porte destes varejistas, da previsão da demanda e sobretudo dos canais de distribuição. 

Mas em quais etapas uma indústria pode contribuir para garantir que a performance do varejo está dentro daquilo que foi anteriormente planejado e projetado? Isso varia de acordo com as cadeias que cada indústria construiu, mas o acompanhamento de lotes dos produtos e precificação, os números de customer share e informações de sell-out direto nos PDVs são apenas algumas das alternativas da indústria para fazer uma gestão eficiente. Por esse motivo uma boa gestão do estoque do varejo é de extrema importância, pois quanto maior a integração de canais e obtenção de informações, mais ajustado será o processo decisório, maior será o impacto para o consumidor final e, consequentemente, para as vendas. 

No entanto, é preciso estar atento a uma série de impedimentos que podem tornar as estratégias de gestão do estoque do varejo mais difíceis ou imprecisas. Sendo que algumas delas trazem prejuízos a todos na cadeia produtiva, incluindo seus parceiros e canais.

Os principais empecilhos da gestão do estoque do varejo eficiente 

Vimos que a indústria tem boas opções para a gestão do estoque do varejo e que quanto mais informações ela possui dos processos, melhor será seu processo decisório e estratégico. Porém, é preciso lembrar que um planejamento e a construção de integrações também perpassam por uma série de obstáculos que vão desde a inflexibilidade de parceiros até dados imprecisos e que enviesam as tomadas de decisão. Alguns dos principais empecilhos de uma gestão de varejo assertiva estão:

Erros de comunicação 

Quanto maior o número de agentes no ciclo de venda de um produto, maiores são os riscos de ocorrer erros de comunicação e, consequentemente, prejuízos para a indústria. Os erros de comunicação são comuns principalmente quando há pouca troca de informação e falta de eficiência na comunicação entre os canais e a indústria. A falta de integração muitas vezes é causada pela recusa no compartilhamento de dados ou por uma postura individualista por parte de um dos parceiros. Estes aspectos prejudicam a comunicação e podem incorrer em planejamentos equivocados de produção e de logística, podendo ocasionar a falta de produtos (ruptura de estoque) ou uma produção excedente. Tanto a ruptura de estoque quanto a produção excedente causam perda de recursos para a indústria a curto e longo prazo, além de prejudicar a todos na cadeia de suprimentos.

Dados imprecisos 

Diferentemente do contexto dos erros de comunicação, a questão aqui é que os dados são sim compartilhados, mas nestes casos a principal preocupação fica por conta da qualidade e precisão destes dados. Sabemos que o ciclo de um produto fabricado por uma indústria incorre numa série de etapas que envolve a produção, armazenamento, transporte e venda (tanto sel-in quanto sell-out) propriamente dita. Cada uma dessas etapas constitui um grande volume de dados que, juntos e interpretados, geram as informações necessárias para que a indústria tome decisões, crie estratégias e planeje a sua produção. Portanto, quando os dados destas etapas são imprecisos, todo o processo decisório afetado por eles também acaba por ser contaminado. Por isso, tão importante quanto obter dados de vendas, desempenho, posição de estoque, sell-out, entre outros, é a qualidade e principalmente a precisão destes dados diante do processo de planejamento.

Metodologias obsoletas

A modernização de processos que chega juntamente à indústria 4.0 exige que todas as organizações da cadeia produtiva adotem processos que agilizem e otimizem o processo decisório. Isso inclui a construção de cadeias com base em novas tecnologias que automatizam processos que anteriormente exigiam burocracia e estavam suscetíveis a erros diversos. Adventos como a inteligência de dados tem permitido que a indústria otimize seus processos e tome decisões mais rapidamente e de maneira mais acertada. A mudança de paradigma trazida pela indústria 4.0 também garante que as informações proporcionadas por estas novas tecnologias garantem metodologias com um processo estratégico maior e dados com muito mais acuracidade, tudo isso em tempo real e em qualquer lugar.

Portanto, vemos que a má gestão de varejo fica por conta de fatores ligados à falta de integração entre os canais e a indústria. Pouca troca de informações, erros de comunicação, planejamentos fragmentados e excludentes: todos fazem parte de cadeias pouco eficazes e fadados a erros e desperdício de recursos. Mas afinal de contas, quais práticas tornam uma gestão do estoque do varejo realmente eficiente e inteligente?

Uso inteligente dos dados coletados do varejo

A construção de práticas de integração e uso de dados do varejo que tragam resultados faz parte de um diagnóstico geral dos processos envolvidos no ciclo do produto que afetam de forma direta o contato destes produtos com o consumidor final através dos canais varejistas. Quais os números de venda deste produto? Qual a performance geral do meu portfólio nestes varejistas? Qual precificação está sendo adotada nos PDVs? Nestes pontos de venda há o sortimento de produtos desejado? Estas são algumas das perguntas que uma gestão de varejo inteligente precisa responder. Por esse motivo, adote ferramentas que tragam insights precisos e em tempo real para que você tome as melhores decisões e torne sua estratégia melhor construída. Práticas de gestão de varejo eficiente incluem:

Dados de sell-out

Obtenha dados de vendas diretamente dos PDVs. Dessa forma você conseguirá planejar melhor a sua produção e saber quais produtos do seu catálogo estão trazendo resultados positivos de vendas e quais produtos precisam de maior destinação de recursos.

Preço dos produtos no varejo

Saber o preço dos seus produtos na ponta também permitirá que você tenha uma melhor visão a respeito da competitividade do seu produto do ponto de vista de precificação para o consumidor. 

Dados de desempenho e crescimento 

Saber o desempenho dos seus produtos através de relatórios vai permitir que você encontre quais produtos têm potencial de crescimento a longo prazo. Ranquear estes produtos também trará uma maior dimensão do seu potencial de crescimento, gerando um melhor planejamento de produção.

Customer share

Mais do que conquistar o mercado, também é preciso conquistar os clientes com estratégias cada vez mais personalizadas. Portanto, obter dados de customer share te ajudará a construir melhor o perfil dos seus consumidores.

Quer planejar com dados coletados direto do varejo? Conte com a Implanta!

Construir uma gestão inteligente necessita de dados precisos e rápidos. Por isso, a solução Visibilidade do Varejo da Implanta traz uma série de dados com precisão de 99,8% para que a sua tomada de decisão seja assertiva e seus planos bem estruturados. As soluções da Implanta incluem dados que permitem o acompanhamento dos produtos no canal varejista como:

  • Informações de sell-out;
  • Dados de clientes;
  • Preço dos produtos na ponta;
  • Customer share nos canais; 
  • Análise de desempenho de produto;
  • Rastreabilidade de lotes de produto.

Quer fazer uma gestão de varejo inteligente? Converse com um de nossos especialistas!

Procurando um especialista?

A Implanta tem soluções para integrar e analisar os dados da sua cadeia produtiva, revelando as melhores oportunidades de negócio.

Conteúdo Exclusivo

Assine a nossa newsletter

pt_BRPortuguês do Brasil