Supply Chain: conheça seus fluxos e o papel da indústria no processo

Supply Chain: conheça seus fluxos e o papel da indústria no processo
Conteúdo

Na atualidade, grande parte da concorrência no setor produtivo vai além do desenvolvimento de produtos que criem boas experiências para o consumidor e de uma visão operacional dos processos. A construção e administração de redes que permitam uma melhor entrega de valor para o cliente também é um elemento crucial para o sucesso dos parceiros em uma cadeia. O chamado supply chain management (gerenciamento da cadeia de suprimentos, em português) é um conjunto de estratégias que visa criar sinergia entre os processos destas redes e cadeias de parceiros, com o objetivo de entregar produtos no período, local e quantidade corretos para o consumidor.

Mas o que torna o gerenciamento do supply chain um processo tão importante para as estratégias e objetivos de agentes numa cadeia produtiva? Mais do que isso, como construir estratégias e conseguir dados e informações da melhor forma possível para o processo decisório? Veja a seguir a importância do supply chain management e quais os principais aspectos que fazem dele algo essencial no momento atual das indústrias.

Supply Chain vs. Logística

Em muitos casos, alguns gestores podem acabar por confundir os conceitos de supply chain e logística propriamente dita. Por conta de terem dinâmicas próximas e em alguns momentos até mesmo análogas uma à outra, as ideias de supply chain e logística são, em essência, separadas. A logística trata de questões voltadas para cada elo entre os agentes da cadeia produtiva, ou seja, a relação da indústria com os seus parceiros na cadeia produtiva, como fornecedores e canais distribuidores e atacadistas. Outro aspecto a logística compreende são os processos logísticos internos dos agentes. Uma indústria, por exemplo, precisa planejar seus processos logísticas em torno de um fornecedor, mas também precisa de uma gestão logística eficiente para o ciclo de produção dos seus produtos a caráter interno. Isso faz com que a logística tenha um caráter mais localizado e focado nos elos entre os agentes da cadeia produtiva, com objetivo de gerar mais eficiência nas etapas do ciclo do produto até sua chegada ao consumidor.

Por outro lado, o supply chain garante um processo mais complexo e que envolve bem mais do que processos internos e os elos entre os agentes da cadeia produtiva. O que acontece no caso do supply chain é o foco em gestão em toda a cadeia de agentes envolvidos no ciclo de um produto. Ou seja, o foco do supply chain é a construção de uma rede mais forte que garanta que não só a chegada do produto no momento, local e sortimento certo para o consumidor como também gerar uma entrega maior de valor e, assim, gerar mais competitividade. A principal característica do supply chain management é a sua abordagem voltada para a integração dos processos entre os agentes da cadeia produtiva. O processo de produção, armazenamento, transporte, compra e venda de um produto tem alta complexidade e exige um planejamento especializado que considere todos os agentes envolvidos e como otimizar suas atuações.

Portanto, enquanto a logística busca a eficiência em processos mais localizados e voltados para os elos entre os agentes, o supply chain management foca na administração de toda a rede atuante em torno do produto como um todo. Isso faz com que a gestão da cadeia de suprimentos seja um foco cada vez maior de empresas dentro do setor produtivo, o que inclui as indústrias e seus diversos canais na cadeia produtiva.

O lugar da indústria no supply chain

Quando se trata do supply chain, a indústria tem um papel essencial para o andamento eficaz dos processos, já que o seu ritmo de produção é um dos fatores chave para a disponibilidade de um produto (ou a falta dele) nos PDVs. Por isso, a maturidade da gestão nestes casos faz uma grande diferença, já que os processos tem uma base maior na experiência. Outro fator importante é um bom planejamento de produção, pois ele é um elemento fundamental para a indústria do ponto de vista de uma gestão eficaz da cadeia de suprimentos.

É através de um planejamento de produção adequado que uma indústria será capaz de evitar problemas como: ruptura de estoque (falta do produto para os clientes e consumidores), sortimento de produtos ineficaz nos PDVs e visibilidade de estoque e de produtos inadequada ou ineficaz e campanhas de inventivo mal operadas.

Sabendo de todos estes problemas, cabe a indústria adotar medidas e principalmente metodologias que permitam ter um planejamento de produção adequado, fazer acompanhamento dos produtos em todas as suas frentes e obter números de performance que concedam a visibilidade de performance destes produtos. Desta forma, a indústria pode fazer da sua produção um processo cada vez mais estratégico e personalizado de acordo com as informações advindas dos outros agentes volvidos na supply chain.

A relação entre o compartilhamento de dados e informações entre a indústria e os outros agentes da cadeia de suprimentos se tornou uma constante nos últimos anos, já que ficou cada vez mais evidente que dados de qualidade são a base para gestões mais eficientes. Isso faz com que os dados sejam a base para a obtenção de insights que irão dar base para o planejamento e para as decisões da indústria a curto e longo prazo.

Fluxo de informações e dados no supply chain

A atuação dos agentes dentro da cadeia produtiva configura uma gama imensa de processos e transações que, por consequência, geram um grande volume de dados e informações de alto valor não só para a indústria, mas para toda a cadeia. No entanto, o desafio das indústrias neste processo fica por conta da coleta, armazenamento e interpretação destes dados de maneira adequada e que realmente tragam insights importantes para o processo decisório de gestão.

Dentro do supply chain é possível indicar dois fluxos principais: o de produtos e o de informações. A partir destes dois fluxos é possível entender melhor como funcionam a troca de informações e compartilhamento de dados entre os agentes, bem como a sua importância no processo.

Fluxo de produtos

Acontece na direção dos produtores para os consumidores (no caso da indústria, o fluxo de produtos é anterior a ela e vai em direção ao consumidor final). É nesta etapa que tratam o abastecimento e a gestão logística adequadas para que os produtos cheguem com qualidade no tempo, local e quantidade corretas para o consumidor. Dentro do fluxo, quanto mais próximo do consumidor estiver um determinado produto, maior será o seu valor agregado.

Fluxo de informações:

Acontece na direção contrária, ou seja, do consumidor final para os produtores e distribuidores. É aqui que se obtém, por exemplo, alguns dados importantes como os de vendas para o consumidor final (sell-out). É a partir destas informações que a indústria irá ajustar seu ritmo de produção e verificar quais produtos tem potencial de crescimento, por exemplo.

É possível ver que a chave para as operações em uma gestão da cadeia de suprimentos eficiente é a visibilidade: de produtos, de processos, de vendas, entre outros. Portanto, é através da visibilidade que os agentes da cadeia produtiva poderão ajustas seus processos e assim construir planejamentos mais estratégicos e voltados para os dados obtidos, o que gera uma maior entrega de valor para o consumidor.

Supply Chain e a indústria 4.0

As novas tecnologias têm transformado praticamente todos os mercados pelo mundo, no caso das indústrias e dos outros agentes na cadeia produtiva isto não é diferente. A chegada da indústria 4.0 tem ido além da automação e aumento dos ritmos de produção, agora o foco fica apor conta da construção de inteligência competitiva para um mercado cada vez mais disputado.

A adição destas novas tecnologias fez com que os canais pudessem criar canais de comunicação mais eficazes e construíssem processos menos burocráticos e com custos reduzidos. Adventos como a inteligência artificial e de dados permitem que processos que anteriormente dependiam de burocracias e demandassem muito tempo agora fossem descartados e dessem lugar a automação. Os pedidos de compra, por exemplo, podem dar lugar a gestões de estoque mais automatizadas e parcerias baseadas na transparência e troca de dados.

Atualmente, a possibilidade de coletar e interpretar dados em tempo real são uma chave essencial para uma gestão de supply chain cada vez mais integrada. Por esse motivo, obter ferramentas que garantam a integração de canais da cadeia produtiva são um elemento chave do processo estratégico das indústrias. A indústria caminha cada vez mais para processos mais conjuntos e complexos, e adotar soluções voltadas para os dados e sua administração são de extrema importância para evitar recursos desperdiçados e ganhar tempo nas tomadas de decisão.

Concluindo, os dados serão a chave para que as indústrias não só consigam maior competitividade, mas construam parcerias fortes, planejem sua produção de maneira adequada e consigam tomar decisões de negócio mais inteligentes de maneira mais descomplicada. Esta é a chave para uma gestão da cadeia de suprimentos mais eficiente e um setor industrial cada vez mais forte.

Quer visibilidade de produtos e acompanhar a performance de seus produtos em tempo real? Conte com a gente! Converse agora com um dos especialistas da Implanta.

Procurando um especialista?

A Implanta tem soluções para integrar e analisar os dados da sua cadeia produtiva, revelando as melhores oportunidades de negócio.

Conteúdo Exclusivo

Assine a nossa newsletter

pt_BRPortuguês do Brasil